Feeds:
Posts
Comentários

Archive for dezembro \31\UTC 2008

Resoluções de ano novo

Eis que mais um ano se encerra. Dois mil e oito. Nesse ano aconteceram muitas coisas de ordem pessoal na minha vida. Ora, que besteira! Aconteceram muitas coisas de ordem pessoal na vida de todos. Um ano é um ano e, não fosse pelos nossos atos, um seria igualzinho ao outro, salvo mudanças climáticas (ih! acho que o discurso em voga é o total oposto disso…)

No meu fuso horário, que não é mais que uma convenção, faltam menos de 2 horas para que o ano de 2008 se encerre. A Terra se encontra no mesmo ponto em relação ao Sol que estava há 366 dias. Embora o mesmo valha para ontem e ante-ontem. Outrora o ano era marcado pelo início da primavera. Para outros, pelo aniversário de algo. Mas, repito, um ano é um ano, a convenção não interessa, todos comemoram de alguma forma o ano novo, que é sempre da duração de um ano, excetuando alguns erros de cálculo aqui e ali. Comemore o ano novo quando você quiser, mas comemore-o.

Há algo da natureza impresso no ano, como há também nas semanas e nas estações do ano e nos meses. Todos são, não invenções humanas, mas realidades naturais. A Terra demora aproximadamente 365,25 dias para dar uma volta em torno do Sol, que, do ponto de vista da Terra, passa aproximadamente 30 dias voltado para cada constelação zodiacal. Principalmente nas zonas subtropicais, no decorrer do ano, é possível verificar quatro macro-comportamentos na natureza, decorrentes da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. Também há quatro dias especiais, em que o dia é o mais curto ou o mais longo do ano — os solstícios –, ou a duração de dia e noite é idêntica — os equinócios. Qualquer um que não seja um fundamentalista vai conseguir ler tudo isso no Gênesis. Não só no Gênesis, mas também no paganismo. Cultuar Terra e Sol foi o que fizeram ao ver que eles eram uma realidade dada — inalteráveis pelo homem — e imutável e que, por outro lado, nos influenciava enormemente.

Por isso, a prática de resoluções de ano novo — e reitero que não interessa quando é o “seu” ano novo! — é muito salutar. Assim como a prática das resoluções de mês novo (“entro na aula de dança mês que vem”), de semana nova (“começo o regime na segunda”) ou de dia novo (“amanhã não faço de novo essa burrada”). O ano, por ser mais longo, dá tempo para os percalços nos propósitos, da queda e do levantar-se.

Se você já se convenceu a fazer resoluções de ano novo, pode parar de ler. Farei cá as minhas — isto é um blogue pessoal, oras! Preparei-as recentemente, e não sei se as cumprirei. Mas é claro que tentarei.

  1. Cumprir as resoluções menores, e os planejamentos pequenos — se disse “amanhã farei isso”, que o faça.
  2. Alternar rotina e mudança. Ter hábitos rotineiros como acordar cedo e fazer exame de consciência antes de dormir, e ao mesmo tempo ter ímpeto de certas mudanças necessárias e/ou salutares.
  3. Terminar o mestrado. Ora! Já levei tempo demais.
  4. [Intimamente ligado com o anterior] Trocar de emprego. Gosto muito do meu emprego atual, o relacionamento com a empresa é fantástico, mas não é para isso que eu estudei, não é a minha vocação natural ou preparada.
  5. Mudar-me para São Paulo ou Rio de Janeiro. Não dá para negar, o Brasil acontece nesses dois lugares. [Dá para perceber que está ligada com as duas anteriores].
  6. Melhorar sempre os hábitos, adquirir virtudes, livrar-me dos vícios — dedicar-me aos meus compromissos pessoais, profissionais, a meu apostolado e outras iniciativas, e principalmente aos teleológicos.
  7. Não desistir de visitar o bom velhinho, como acabei por fazer em 2008.

Sete resoluções, dá pra lembrar de uma cada dia da semana, não? Se quiser, escreva as suas aí na caixa de comentários ou deixe um link pro seu blogue, caso tenha-as escrito por lá.

Estou com a sensação de que esqueci algo. Esqueci?

Ah! Feliz Ano Novo.

Anúncios

Read Full Post »