Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \30\UTC 2008

O Cão Covarde

Coragem é conhecer os seus medos e enfrentá-los no campo de batalha. Só isso. Quem não tem medo não pode ser corajoso, apenas inconseqüente. Um soldado que não teme a morte fará burrice. Um que a teme e não enfrenta o medo será inútil. Um que a teme, mas sabe que pode sobreviver, fará de tudo para viver e será um grande lutador. E, caso a morte apareça, entregar-se-á bravamente.

Se quisermos ser corajosos, temos que, em primeiro lugar, conhecer nossos medos: da morte, da rejeição, da dor, são alguns dos mais comuns. Outros mais simples (ou mais específicos) como “falar em público” não afetam tanta gente, e não quero dizer que quem não os tem falará inconseqüentemente, porque não é tão grave, mas quem não tem esses medos corre mais risco de meter os pés pelas mãos do quem os têm e os enfrenta. Depois de conhecê-los, temos que estudá-los: o que nos traz esses medos, de onde eles vêm, e por que os sentimos. Faz sentido tê-los? É realmente um risco para nós o que tememos?

Se não há risco, devemos nos esforçar por eliminá-lo. Todo dia lembrar do medo, e convencer-nos racionalmente de sua inutilidade, e pedir a Deus ajuda nessa etapa. Se há riscos, contudo, devemos ponderar quais são e medir conseqüências do enfrentamento. Por exemplo, tenho medo da dor mas só conseguirei fazer um procedimento médico importante se enfrentá-la. É óbvio que devo enfrentá-la. Tenho medo da morte mas quero impressionar meus amigos atravessando um precipício numa corda. Creio que não seja boa idéia…

E há sutilezas e mais sutilezas. Citei dois exemplos extremos, porque o meio, de fato, é difícil. Cabe a cada um de nós usar nossa consciência e inteligência para resolver o que fazer. Quando soubermos os nossos principais medos, e estivermos convencidos que devemos enfrentá-los em certas ocasiões, estamos a um passo de desenvolver a verdadeira coragem!

Desenvolvê-la é outro passo, quiçá o mais difícil. Práticas “artificiais”, que nos forçam a encarar o medo com menos riscos. Temos medo de falar em público, que demos aula de algo para um grupo pequeno. Temos medo da dor, façamos uma caminhada mais dura que nos doa no dia seguinte. E coloquemos, em nossas orações, a intenção de vencer tal ou qual medo. Demora, precisa de prática e de graça. Mas pacientes alcançamos. Como ganhar paciência, aí é outra história!

Obrigado por me ler, até mais!

Anúncios

Read Full Post »

Acho um absurdo a Igreja se meter assim nas questões de Estado! Ainda bem que a ciência prevaleceu sobre o obscurantismo, na questão das células-tronco embrionárias, ao contrário do que vimos em muitas ocasiões na história. Não podemos deixar a religião interferir na vida pública!

A oposição à escravidão, verificada no início do primeiro milênio, foi contra a base da economia romana, e contra o progresso material! Quando as luzes vieram, no renascimento, retomamos a escravidão, que nunca devia ter sido encerrada. E pra você ver como os católicos querem se meter na vida de todos, quando os bandeirantes quiseram botar os vagabundos dos índios pra trabalhar de escravos, os jesuítas não deixaram! Já na Idade Média, a regulamentação da tortura, obra de carolas, impediu que se torturasse alguém mais do que uma vez na vida e que se derramasse o seu sangue no processo, impedindo muitas investigações e tirando um poder lícito dos reis. Depois, a catequização dos índios e o combate ao infanticídio e às guerras fratricidas entre eles dizimou valores culturais antiqüíssimos, mostrando quão opressora é essa instituição.

Depois, na sociedade moderna, vemos que a Igreja impôs muitos de seus mandamentos na lei. Por exemplo, a proibição do assassinato acabou com o justo direito dos Estados sobre os seus cidadãos. E quer lei mais opressora que o atentado ao pudor? Por que não pode bacanais em público, como faziam os romanos? E o estupro, mero seguimento da natureza? Só são proibidos por causa da Igreja!

Não é só isso, em muitas outras coisas a Igreja e seus carolas interferiram nas leis até hoje, cometendo diversos impropérios e entraves à civilização! Por que não posso matar meus filhos se nascerem com deficiência? Por causa da Igreja! Pois onde ela não atuou, pode. Por que não posso bater na minha mulher caso ela me desobedeça? Por causa da Igreja! Onde esses reacionários católicos não têm vez, essa ação naturalíssima pode ser feita! Aliás, eu deveria ter o direito de matá-la a pedradas caso me traísse, mas os cristãos acabaram com esse direito!

E a pedofilia? Os gregos eram muito felizes com seus rapazotes, mas depois a Igreja, com seu moralismo, proibiu esse prazer! E os doentes? Que morram! Por que essa instituição tinha que se meter na vida dos saudáveis e inventar os hospitais? E ainda dar aos doentes direito de ser tratados gratuitamente, como pode? E essa história de educação gratuita e universidades? Invenção da Igreja Católica, o Estado não pode fazer isso! Por causa da Igreja, eu não posso arrancar a mão dos ladrões, matar o filho daquele que mata meu filho, eles impuseram uma série de coisas contrárias a tudo isso, que sempre foi feito na humanidade até a Igreja Católica se meter com seus tentáculos opressivos.

Está na hora de darmos um basta a esses que querem colocar seus valores religiosos nas leis. A luta continua!

Read Full Post »